Fazer bem Feito: em 1, 2, 3

Adorei receber um bilhete escrito a mão para um bate papo sobre ‘Fazer bem Feito’. Era um convite da jornalista da rádio UEL, Patrícia Zanin, que está lançando uma série sobre o tema para o programa Modos de Vida.

Esse conjunto de coisas improváveis: bilhete à mão + bate papo (e não reunião) + falar sobre um assunto que não seja negócios foi deliciosamente instigante.

Tive que rascunhar um roteiro do que podia falar sobre o assunto e virou uma listinha de 3 dicas para o dia a dia. Quer bater um papo comigo sobre isso?

1- Estar presente
O primeiro ingrediente para fazer bem feito é estar presente. Não importa se você tem um único compromisso na semana ou 3 num mesmo período – vivenciar cada experiência 100% ali (com a razão alerta e presença de coração) é uma escolha que podemos fazer a cada momento.

Usar o tempo a seu favor, pensando que onde, com quem e como estou é uma opção para aquele momento e tem a ver com assumir muitos ‘nãos’ que geralmente é difícil falar.

Gosto de lembrar que qualquer resultado é consequência de um conjunto de escolhas e – por mais difícil que seja – quando tomamos posição, estamos contribuindo com o resultado (e não só recebendo as consequências passivamente)

2- Planejar e flexibilizar
Continuando, para fazer bem feito precisamos ver o mundo e atuar intencionalmente nele. Para isso, valer-se de ferramentas de planejamento (seja lá qual te deixa mais confortável) é muito bom.

Planejar é buscar referências – o que já foi feito ou estudado – visualizar o esperado e gerar um conjunto de ações que vão nos levar naquele objetivo.

Vai ajudar tanto a medir performance como também a rever os rumos quando necessário. Planejar é um santo remédio, e como tal deve ser usado.

Se por um lado precisamos planejar, flexibilizar tem que ser o tempero para um ‘Fazer bem Feito’ de verdade. Para não errar a dose, nem sofrer com os efeitos colaterais, todo o planejamento devem ser escrito a lápis E seu título vir seguido de V1, V2, V3…

3- O meu papel no mundo
E pra fechar bem: Fazer bem Feito para valer a pena.

Realização é um estágio da felicidade – e do jeito que tudo anda acontecendo hoje em dia, só vai acontecer quando os reflexos do Fazer bem Feito for também para outro.

Experimente dedicar-se a um projeto bem pra você (por exemplo, vou conseguir correr 10 km) e depois dedicar-se a um objetivo comum (participar de um grupo de corrida). Em ambos você vai ser individualmente beneficiado, mas a satisfação na conquista do grupo potencializa a felicidade.

Acima de tudo, o Fazer bem Feito só vai Fazer Sentido se estiver pautado em bons propósitos e valores verdadeiros. Não tem exceção, sem relativismo por aqui. Propósitos e Valores são as medidas que vão dizer o quanto valemos para o mundo.

E para saber mais sobre como foi esse bate-papo delicioso, acompanhe a entrevista completa clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *