#DoQueVocêSeVeste?

Nesse mês de Março, junto da Revista Inspired, queremos homenagear as mulheres de um jeito diferente. Queremos enxergar a essência de cada uma delas, as histórias, as lutas!
#CoisaDeMulher é ir à luta, é correr atrás de seus sonhos, viver sem medo, sem estereótipos, acreditar em sua potência e fazer acontecer!
Então, nada melhor do que saber do que cada uma se veste diariamente para viver a vida.
 
Para acabar com os clichês, no último encontro do ELA – Empreendedoras Londrinenses em Ação, as mulheres do grupo responderam #DoQueVocêSeVeste?

Mulheres-rosana
“Acho que uma palavra tem tem feito muita força na minha vida é fé. A fé não é somente ‘fé em Deus’, sou uma pessoa extremamente religiosa, mas é sobre fé em tudo, na vida, no próximo, nos meus propósitos, na humanidade, no Brasil… Acho que a fé é o que me move e isso tem me ajudado muito, porque a fé traz esperança, amor, convivência e alegria.”
Mulheres-alexandra
“Aprendizagem é algo que eu tenho me vestido muito! Tenho visto o quanto a gente não está pronto e não tem que estar mesmo! Uma vez eu vi uma atividade bem interessante sobre ato e potência e, ultimamente, mais do que nunca, tenho percebido que eu tenho me vestido de ato e de potência. Acordo de manhã e tento ver o que tem de potencial para acontecer, seja no mundo, em casa, no trabalho ou em cada um que a gente encontra ao longo do dia, e busco os atos que tem que encaixar ali. Acho que, em especial, nesse momento, o que eu mais tenho me vestido é disso: acordar, ver o que tem de potencial para acontecer no dia e os atos que tem pra fazer, e tentar fazer o máximo, da melhor forma possível.”
Mulheres-andrea
“Uma das coisas que a gente se veste todos os dias e ultimamente eu tenho me vestido bastante, é de inspiração. Inspiração para levantar, para trabalhar, para descobrir um pouquinho de amor no próximo, um pouquinho de vida, fé na vida, porque quantas vezes isso não é roubado da gente, né? Por tantos fatos e atos que vemos por aí. Então, pra eu poder trabalhar com o café da forma como eu trabalho, preciso de inspiração diária e muitas vezes isso vem de pessoas que eu nem conheço, que passam na rua, quando eu ouço uma palavra ou uma história e aquilo me inspira. Com isso eu vou um pouquinho pra frente todos os dias, graças à inspiração das pessoas na minha vida.”
Mulheres-cacilda
“Eu me visto de duas coisas, que são contraditórias, uma é desânimo, desesperança, e a outra é exatamente o contrário: entusiasmo. Desesperança, porque, há três anos minha mãe foi diagnosticada com Alzhaimer. Eu estudei a doença, fiz uma pós, fundei um grupo de apoio, mas percebi um dificuldade enorme nas pessoas de atender o idoso. Está aí a minha decepção e a minha desesperança. Pelo contrário, sou uma pessoa entusiasmada por natureza! Eu e minha filha queremos montar um coworking na nossa cidade e estamos muito animadas! Então eu me visto diariamente de tristeza, decepção e frustração por um lado, e entusiasmo por outro. Quem sabe essas coisas não se equilibram uma a outra, não é?”
Mulheres-carmen
“Nesse momento, em especial, da minha vida, e também por conta de todas as mudanças que estão acontecendo no planeta, eu me visto de gratidão. É isso, não tem outra coisa. Parece até repetitivo, porque a gente tem ouvido muito isso aqui no Juntus, mas não tem como, posso até pensar em outras coisas, mas eu me visto somente de gratidão nesse momento. Por tudo, pela consciência, por uma percepção mais refinada de tudo aquilo que eu realmente preciso fazer, construir, melhorar… Mas nunca deixando de lado o bom humor, a alegria, que é fundamental, mas eu me visto de gratidão, com certeza!”
Mulheres-julia
“Acho que do que me visto tem muito haver com a minha profissão. Sou fisioterapeuta e desde muito nova, sempre gostei muito de movimento. A primeira coisa que eu penso quando o dia começa é buscar ânimo, inclusive o nome da minha escola é Ânima Corpo, porque eu procuro que a minha alma me leve pra fazer os movimentos, que eu faça com o coração. Então, pra mim, isso é presente e eu observo muito nas mulheres esse impulso, ânimo, disposição pra fazer muitas coisas, mesmo com toda a dificuldade. É isso que eu busco.”
Mulheres-valeria
“Tenho uma marca de cookies artesanais e dou aulas de inglês. Morei fora por um tempo e, durante o período que eu morei no Rio Grande do Sul, eu sentia uma vontade muito grande de ter algo meu, algo artesanal, que eu pudesse criar, que as pessoas pudessem saborear, então entrei em contato com um casal de americanos, que me ensinaram a fazer os cookies. A minha vida inteira eu trabalhei para outras pessoas, e sempre senti essa vontade de fazer algo por mim mesma. Por isso, todos os dias, me visto de vontade de ser feliz. Acho que ninguém pode fazer o outro feliz se não estiver feliz. Então mesmo com todas as dificuldades de ter um negócio, ainda mais com essa crise, cada vez mais eu tenho a certeza que estou no caminho certo, que é isso que eu quero continuar fazendo.”
E você, se veste do que?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *