Como eu consegui um emprego no exterior através do LinkedIn

Quando eu decidi me mudar para a Nova Zelândia, já tinha o meu perfil no LinkedIn bem atualizado, em inglês, e com alguns depoimentos e endossos. Em uma noite, eu adicionei cerca de vinte pessoas do país.

Essas pessoas eram tanto da minha área de atuação (Sou Analista de Desenvolvimento de Sistemas) quanto head-hunters de TI. Para minha surpresa, no dia seguinte, ao checar minha caixa de entrada, me deparei com mais de 10 mensagens de head-hunters me perguntando se eu tinha interesse em trabalhar lá, e caso a resposta fosse positiva, que eu mandasse mais informações por e-mail. Depois desse dia, se passaram cerca de 3 meses até eu ser contratado por uma empresa de lá.

Mas, primeiro, o que é o LinkedIn?

O LinkedIn é uma rede social voltada para negócios. Ela proporciona o contato de pessoas que atuam em todos os ramos de trabalho, a divulgação de materiais e artigos relacionados a qualquer área, e, principalmente, aos profissionais a encontrarem seu desejado grande emprego.

E você pode sizer: ok, mas eu preciso mesmo de mais um perfil na internet? Eu já tenho um perfil no Facebook, qual a vantagem de um perfil profissional?

O perfil que todos temos em outras redes sociais como o Facebook, Instagram e Twitter podem conter suas informações de trabalho, mas essas mídias não têm o propósito de divulgar informações profissionais, por isso nem sempre são levadas tão a sério quanto deveriam.

No Brasil, não temos o costume de ver prossionais de RH procurando o colaborador certo para uma vaga, mas geralmente, a vaga é divulgada em algum canal, e os interessados buscam o primeiro contato com a empresa para pleitear por esse cargo.

Mas isso não é uma realidade global, há muitos países onde profissionais de RH chamados de head-hunters (do inglês: caçadores de cabeças) ou caça-talentos, buscam, em todos os lugarem possíveis, a pessoa certa para brilhar em suas melhores oportunidades de trabalho.

E o LinkedIn é o canal mais usado pelos head-hunters para encontrar o profissional ideal. E para ser encontrado por eles, o perfil precisa estar bem preparado e chamativo, com as informações da forma mais clara possível, e com boa reputação.

Eu tive a oportunidade de ser encontrado por um head-hunter e de conseguir um ótimo emprego no exterior através do LinkedIn, e vou listar algumas dicas que deram ótimos resultados para mim. Essas dicas não servem somente para melhorar as chances de ter o seu perfil encontrado, mas também de ter melhores chances de ser aceito para uma vaga em que se pleiteia dentro e fora do Brasil.

  1. Nunca minta no seu perfil.

Como você tem acesso a alterar tudo, você vai ser tentado a aumentar e inventar coisas para chamar mais atenção para seu perfil. Mas, nenhuma empresa contrata somente pelo que vê no LinkedIn, ou seja, você será passado à prova de tudo o que publicou sobre si. E além de não conseguir essa vaga, você pode ficar “queimado” na rede e ter muitas dificuldades de conseguir qualquer outro bom emprego por causa disso.

  1. Mantenha seu perfil atualizado, sempre.

Quando eu digo sempre atualizado, eu quero dizer: diariamente. Isso não significa somente deixar sua posição atual descrita, mas coloque todos os projetos em que você está participando e que tenha permissão de publicar, crie posts sobre sua área de atuação, divulgue seus blogs e todas as publicações que fizer neles, curta e comente publicações que vir na rede. Todas as suas ações na rede, deixarão seu perfil mais visível, além de fazer com que as pessoas que estão conectadas com você lembrem-se do que você faz todo o tempo. Se um head-hunter acessa seu perfil e não vê nada que o interessa lá, ou informações muito antigas, dificilmente ele vai voltar. Já se encontra informações atualizadas, ele vai voltar a acessá-lo sempre que tiver uma vaga que se encaixa com você. Lembre-se, você terá chances de ter um ótimo emprego e de fazer grandes parceria e negócios todos os dias, não deixe nenhuma delas passar.

  1. Crie um resumo que mostre quem você é e o que procura. E seja breve.

Todas as vezes em que um head-hunter acessa um perfil no LinkedIn, ele vai ler o seu resumo, ou pelo menos, tentar. Não crie resumos longos desnecessariamente, seja direto, não fale sobre assuntos que não tem relevância para sua carreira, e se procura algo no exterior, escreva-o em INGLÊS! Digo para escrever em inglês pois é a língua mais falada no mundo hoje, mas é claro que se está procurando algo para algum país em específico, você precisa de um resumo na língua falada naquele país.

  1. Tenha bons depoimentos e endossos

Outra coisa muito importante que os head-hunters procuram nos candidatos é a boa reputação. Ter depoimentos, e um bom número de endossos nas suas habilidades é uma ótima forma de ser bem visto na rede. Para ter um bom número de endossos, a melhor forma é deixar suas habilidades ordenadas, preferencialmente, de acordo com o grau de conhecimento, assim as pessoas que te conhecem terão maior visibilidade dessas habilidades e endossarão seu perfil. E para ter bons depoimentos, peça para os seus contato (colegas e ex-colegas de trabalho e escola/faculdade) escreverem depoimentos a seu favor, e a melhor forma de pedir isso, é fazendo o mesmo por elas, então, escreva bons depoimentos sobre suas conexões.

  1. Tenha um bom networking na rede.

O seu perfil pode estar impecável, sempre atualizado, com bons depoimentos e muitos endossos, mas se você não tiver bons relacionamentos com as pessoas certas, de nada tudo isso valerá. Para ter um bom networking, participe de grupos, crie discussões, comente publicações de outras pessoas, parabenize seus contatos por novos empregos, mande sempre um simples “Feliz Aniversário” e, principalmente, adicione as pessoas certas.

As dicas que eu listei podem não ser as melhores, e talvez não sejam as mesmas que outras pessoas dariam, mas elas serviram pra mim e me deram uma ótima oportunidade de realizar meu sonho profissional. Espero, de coração, que sirvam para você também ter sucesso na sua carreira.

 

Aprenda a otimizar o seu Linkedin com Fernanda Nascimento:

post-blog

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *