A arte de desaprender

Algumas características são intrínsecas ao empreendedor e várias delas são facilmente percebidas por aqueles que tem contato com eles: são pessoas com maior avidez ao risco, visão holística, com foco na solução dos problemas e, principalmente, paixão incondicional pelo negócio, pelo fazer melhor. Entretanto, todas essas condições positivas podem cegar a maioria destes líderes em um ponto extremamente importante: o aprendizado, o conhecimento novo.

blog aprenderÉ importante ter estima elevada para conduzir os negócios com postura enérgica, mas essa condição é perigosa quando o empreendedor tem sua capacidade de ouvir reduzida, e consequentemente, as oportunidades de aprender coisas novas são jogadas fora. Parece óbvio, mas no dia a dia acontece do empresário – sem perceber – vestir o ego, entende que tudo que ele faz é a melhor maneira que se tem para fazer, afinal, como alguém “de fora” poderia dar uma opinião ou lhe ensinar algo sem vivenciar a fundo aquilo que ele vê o tempo todo?

São nestes micro-momentos que se perde a chance de desaprender os conhecimentos adquiridos e se tem a chance de aprender de novo, avaliar se a novidade pode ou não agregar muito mais ao modo como as coisas são feitas e entendidas. O pré conceito de que a bagagem absorvida anteriormente (com a vida e com a jornada do empreendedorismo) é a melhor maneira que se tem de fazer é um contraponto à uma das grandes características atribuídas a esse grupo: comodismo – e este ocultado é pelo “eu já sei”, “assim não dá”, “essa tal pessoa não sabe o que está falando”… volta-se ao ego.

Não seria muito mais conectado a figura de um líder alguém aberto a aprender?

Para aprender algo que já se sabe, ou pelo menos acha que se sabe, é necessário desaprender e para isso, vai uma boa dose de autoconhecimento. Despir-se daquela velha opinião formada sobre tudo é muito difícil, é uma prática diária aproveitar a oportunidade de deixar para trás  “o jeito que Eu faço já dá certo, então pra quê?” e começar a ouvir opiniões ricas que podem fazer do empreendedor um ser humano cada vez mais inovador, com mais conhecimento, compartilhando o saber em comunidade.

Assim sendo, o inteligente mesmo é trocar o ego pela humildade, deixar conceitos velhos para vivências mais apuradas, deixar o caminho do empreendedorismo mais nobre e encurtar as distâncias para se obter o sucesso. Não haverá nada melhor nessa jornada da vida que absorver coisas boas, interagir com as pessoas, ganhar conhecimento com elas e compartilhar.

Mais do que o resultados positivos que podem ser mensurados facilmente no seu negócio, a atitude de desaprender para aprender implica em conhecimento e sorriso no rosto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *