4 dicas para começar o ano com propósitos

calendario-comeco-ano-flores-2016

“Para sempre é feito de agoras”- Emily Dickinson

Começo de ano e aquele clima de novidade, de expectativa de como tudo vai ser, de esperança. É assim que muitas pessoas se sentem quando trocamos o calendário antigo por um novo, parece até que a partir do dia 01 de janeiro conseguimos mudar de canal e acessar uma outra sintonia que não seja a nossa.

Nossas comemorações de fim de ano são necessárias. Nesses momentos podemos manifestar toda a nossa gratidão pelas pessoas em nossa vida, por nossas conquistas, podemos pular 7 ondinhas e agradecer ao santo que quisermos, enfim, cada um tem o seu jeito de começar o ano do jeito que preferir. Mas você já parou para pensar que se não fosse toda essa nossa festa, uma virada de ano nada mais seria do que uma sequência dos dias, das horas, dos momentos?

Não, esse texto não vai te pedir para rasgar sua “wishlist” de 2016, pelo contrário, nós queremos trazer a reflexão sobre nossas atitudes todos os dias, sobre o poder de mantermos nossa força de querermos tudo melhor não apenas no início do ano, mas sim inspirar e conectar todos com a mesma energia que pulamos e vibramos de roupas brancas.

“Você já parou para pensar que se não fosse toda essa nossa festa, uma virada de ano nada mais seria do que uma sequência dos dias, das horas, dos momentos?”

Para refletir sobre isso, colocamos uns pontos bem legais que podem nos guiar (se quisermos) durante todo nosso ano:

1. Tenha um propósito:

Começar a pensas nos porquês de fazermos determinada atividade é um ótimo exercício para entender o caminho que estamos construindo. Ter um propósito nada tem a ver com religião, missão ou outras coisas que possam vir a sua cabeça. Propósito é se conhecer, é saber qual direção que te faz feliz e caminhar com ela, e isso precisa, necessariamente ser uma decisão apenas sua.

2. Caminhe de mãos dadas com ele:

Nessa fase do ano costumamos sentar e planejar toda a nossa vida daqui pra frente, mas passam-se os meses, diversas coisas nos atropelam e onde encontramos todo esse nosso planejamento? Na gaveta. Quando definimos um propósito precisamos associá-lo as coisas que fazemos durante nossos dias, se não corremos o risco de perceber, muito tempo depois, que outras coisas tomaram seu lugar.

3. Entenda que o seu mundo é o mundo de muitas pessoas:

Já parou para pensar que o que você faz ou fala impacta outras pessoas? Quando decidimos, normalmente pensamos primeiro em nós mesmos, e isso não é errado, mas não agimos sozinhos em tudo, estamos sempre nos relacionando de forma profissional ou pessoal, além de compartilharmos o mesmo meio ambiente, que está diretamente sendo afetado por nossas ações coletivas. De acordo com Gustavo Gitti, de O lugar, “Tudo e todos participam de minha vida com influências muito mais intensas do que eu consigo conceber”. Que tal quando for pensar no seu propósito, refletir sobre o reflexo que ele gera no meio em que você vive?

4. Dois “erres” – Realize e Renove

Nenhum propósito aguenta ficar firme por muito tempo se não perceber os impactos positivos que está gerando. Não entendeu? É mais ou menos assim dois pontos quando queremos algo precisamos traçar ações de como isso será feito, se não conseguirmos enxergar realizações nos desestimulamos a continuar. É importante também olhar para o que está sendo feito e se ele está da forma que gostaríamos, não é por que definimos um propósito no final de 2014 que ele precisa valer independente do que aconteça. As coisas mudam, nós mudamos sempre, e um ar fresco não faz mal a ninguém. Será que conseguimos nos inspirar para construir um ano cheio de coisas que nos fazem feliz?

Independente do que você escolher: aproveite o que está vivendo!

Imagem: kaboompics.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *