Blog

(Mais) Motivos para aderir aos espaços colaborativos de trabalho

O incentivo aos espaços colaborativos de trabalho é uma constante por aqui – não apenas porque o Juntus é um escritório compartilhado, mas porque, muito antes de nos consolidarmos, nossa fundadora Alexandra Santos já acreditava nos conceitos que os envolvem.

São inúmeros os motivos pelos quais um profissional – ou vários, reunidos em uma empresa – pode se interessar por transferir seu escritório para um coworking space. Estamos nos aproximando de agosto, quando completamos cinco anos, e este é um momento excelente para trazê-los à tona (e, como não poderia deixar de ser, separamos cinco deles).

I – Baixo custo para profissionais em movimento: aluguel, limpeza e hardware (impressora, mobiliário de cozinha, etc.) são, na maioria das vezes, itens de grande despesa no orçamento de inicialização de um negócio. Em um escritório compartilhado, o único compromisso dos membros da rede é o pagamento do plano – todo o resto é extra. Isso significa que aluguel, limpeza e hardware estão inclusos em um valor fixo mensal. Este cenário é bem mais seguro para todos, de proprietário a investidor.

II – Ambiente profissional para empresários e empreendedores: lançamentos de startups, empresas ou mesmo reuniões de trabalho costumam ser feitas, por quem não tem escritório, em cafés ou lugares públicos. Um espaço colaborativo é, além de um ambiente profissional, um lugar frequentado por pessoas que podem se interessar pela sua ideia e fazer parte da sua rede de contatos. Todos os recursos ficam à sua  disposição.

III – O incalculável benefício da conversa: o networking, segundo inúmeros especialistas, é o recurso mais poderoso de um escritório compartilhado. Uma reunião entre pessoas que compartilham o mesmo espaço e enfrentam desafios semelhantes é um excelente brainstorming para a inovação. O espaço colaborativo pode funcionar mais ou menos como uma mini incubadora, porque pode levar empreendedores de áreas diferentes (ou semelhantes, por que não?) a estabelecer uma relação de ajuda mútua. O efeito da rede de contatos tem um valor prático real.

IV – A cultura: a cultura de um escritório compartilhado é diferente: ela gira em torno de relações e experiências. A partir do momento em que você faz parte de um coworking space, esta cultura abre uma janela para que você perceba que sua capacidade não utilizada pode servir de fonte de receita ou pressuposto para uma conversa de negócios. Isso permite a formação de uma comunidade de semelhantes que se conectam e compartilham histórias e experiências.

V – O aumento da produtividade: em relação ao home office, os coworking spaces têm usuários bem mais produtivos. Isso é explicado pela “pressão social” – trabalhar com outras pessoas o incentiva a trabalhar também. Quando o coworker ao seu lado fecha um negócio, você se sente motivado, não?

Os benefícios da economia compartilhada ficam cada vez mais evidentes à medida em que mais pessoas participam dela. O mundo é diferente agora: a conectividade está a mil por hora e os recursos e ideias podem ser trocados com mais velocidade e menor custo.

No Juntus, acreditamos numa maneira diferente de trabalhar, que é flexível e voltada às interações. Colaborar é um dos nossos valores e está intrínseco à realidade de um escritório compartilhado. Que tal fazer parte disso? 🙂

blog comments powered by Disqus